Um nome

O teu nome perseguia-me os sentidos. Voava. Sentia-lhe o rumor de asas, a vertigem do colibri.

No sono, no chuveiro, nas imensas escadas da madrugada. O voo. Um trajecto de luz entre trevas. Pensei num barco, como se dança na água. Pensei nos espelhos da tua voz, que imagens reflectiam do mundo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s