A igreja

A porta castanha, de uma madeira dura, antiga. As paredes brancas, o sol a pique, ardente. A minha voz bateu contra a porta, resvalou até ao chão. Pensei no tecto alto da igreja, nos joelhos dos fiéis amarrados ao chão. Que palavras voavam alí, que preces? Por que procuramos Deus entre paredes?
Ouvi os meus passos sobre as pedras da tarde. O sino calado. A brisa enrolava-se numa trança escura. Levantei a máquina fotográfica e captei o momento, esse menino descalço que é feito de imagens e de toda a música da água.

Anúncios

Um pensamento sobre “A igreja

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s