De Setembro

Por ti escrevo o desenho do sol sobre as macieiras,
o destino da minha sombra na terra.

Estás longe no fulminante calendário
das emoções.

As folhas que pisaste no último outono
ardem agora, rutilantes e húmidas,
na tarde vazia.

Vejo-te a cantar na memória
como no primeiro dia,
os dedos tão cegos como frutos.

Sabes?

O odor dos eucaliptos
traz ainda setembro
e a cor dos teus olhos.

In One Day Between Us
– versão portuguesa.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s