A Primavera

Começou no chão, a Primavera. Veio com flores de uma fragilidade de sopro, roxas, que as patas de um gato podem destruir, ou o fragor pesado do amanhecer sob chuvas intempestivas.

Apetece ajoelhar-me com a sombra da alegria nas mãos, beijá-las com as gotas dos meus olhos, e murmurar o teu nome entre as pétalas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s