Leituras

Leio vários livros ao mesmo tempo. Alguns prendem-me, outros cansam-me e alguns aborrecem-me. Fecho-os e tento esquecê-los. No entanto, e não obstante os “road blocks”, volto sempre a eles, aos chatos, até à última página. Há sempre a esperança de encontrar uma linha que mos recorde, e que, enfim, me traga a memória e a sensação de algo inolvidável.

A verdadeira arte é empática, não é um exercício do umbigo a querer sugerir “olhem para mim” a cada instante. Leio porque amo o silêncio e para descobrir outros mundos e novas sensações. Poetas como Eugénio de Andrade, Emanuel Félix, Rui Knopfli, Herberto Hélder e Vitorino Nemésio, entre outros, fazem-me sentir um enorme orgulho pela minha Língua. Com García Lorca e Eugénio de Andrade, por exemplo, aprendi que a palavra escrita pode também cantar entre as nossas mãos, entre os nossos olhos.

——

Leio agora dois livros: O Peso do Hífen de Onésimo Teotónio Almeida e The Imperfectionists de Tom Rachman. Companhia admirável num sábado de chuva.

Anúncios

Um pensamento sobre “Leituras

  1. Já não leio desalmadamente…

    Miguel Sousa Tavares teve um efeito nefasto em mim. Aprendi a ler de través…
    Miguel Sousa Tavares é um belíssimo descritor, mas no que toca a emoções, não… não! Escritor não é isso.
    Ah, e escreve ao kg!!!

    Agora pouco leio e chateia-me não o fazer. O último livro que não consegui ler foi “O Deus das pequenas coisas” de uma indiana que não lembro o nome… Fiquei quase a meio…e dei o livro. Agora não fico com eles. Dou-os. Até dei raridades (três livros do Aldous Huxley: “Admirável mundo novo”, “Regresso ao admirável mundo novo” e “A ilha”, da colecção “dois mundos” dos “livros do Brasil”). A minha alergia ao papel velho não me permite voltar a lê-los (tive 40º de febre ao ler a 1ª edição de “Lisboa em camisa” do Gervásio Lobato. Parece impossível, mas é verdade!!!)

    Quando estou na Horta consigo escolher montes de livros na biblioteca. Temos os encontros da “comunidade de leitores” e gosto de participar. Os últimos que li foram do Haruki Murakami. Muito interessante. Falta-lhe um pouco do nosso sangue quente!!!

    …e também comecei a ler Eduardo Bett. Pinto… Ainda não tenho nada a dizer. Estão na Horta… Na Páscoa, na Páscoa dir-te-ei de minha justiça!!!…

    Que o sol dê um ar de sua graça, para não embolorares……………….

    Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ˜”*°•♥•°*”˜Ƹ̵̡Ӝ̵̨Ʒ ♪♫•♥♫•*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s