O sol

Quatro horas e quarenta e cinco minutos de avião para ver o sol e  o mar. A manhã, tão “hermosa”, canta pelos cantos e entre as buganvílias que trepam os muros. A pele tonificada, o espírito a evadir-se como as aves deste México ao qual vou amando devagar, descobrindo nos seus contornos uma nova dança de sentidos.

Daqui a pouco saio do café. Estou aqui à procura de uma história, isto é, a revê-la dentro de mim. Não há fantasmas nos meus olhos. Apenas esta sede imensa de correr pelas cores do mundo acariciando o indelével.

Tanto amor que sinto pelas coisas impossíveis!

Uma história, sim. Com sol por cima e mar ao fundo e protegido com doçura pela sombra de uma palapa.

Anúncios

Um pensamento sobre “O sol

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s