O Silêncio

O silêncio é o princípio do Universo.

Sinto-o em todas as fibras do meu corpo, sentado numa pedra.
A ilha, cujo nome desconheço, entre a mansidão das águas ainda frias de Julho, e sob os meus pés, acolhe-me com as suas árvores altas e um musgo florescente. De súbito aparece um beija-flor. Oiço primeiro o zumbido das asas. Descubro-o então no meu lado esquerdo, belo e misterioso como um anjo. Afasta-se com a rapidez com que apareceu.

Fica o silêncio, macio, profundo, a corrente fluvial do Pitt River e uma nuvem branca ao fundo. De vez em quando, ao longe, passa um barco.

Este silêncio é um rio dentro de mim, um sussurro, o reflexo de um olhar sobrenatural. Comove-me e quase choro sentindo a melancolia de Deus passar com a brisa.

 

Anúncios

3 pensamentos sobre “O Silêncio

  1. Sou um admirador da tua escrita. A poesia mora em quase todos os instantes da tua vida. É um fluir de leveza entre o sim…e o não das coisas… Uma espécie de abandono que sacia os sentidos; um qualquer poente que te faz ir ao encontro dos exílios que os poetas procuram.

    Nelson Moniz

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s