Mês: Janeiro 2016

Reflexão

Ava
Ava Gardner

Trabalho nos bastidores, devagar, como quem atira sementes ao sol. Escrever livros, amar uma mulher, são coisas privadas. Andar de mota, a pé, cantar com o silêncio da tarde. Coisas minhas, íntimas. Não falo delas.

O domingo (este) é belo. Sol abundante. Uma chuva de luz corre a terra, a relva húmida, a distância. Vejo os áceres através da janela. Por trás deles esconde-se, longe, o branco das montanhas.Faz-me lembrar que ainda estamos no Inverno.

…//…

earnest hemingway museum cuba
Ernest Hemingway

Leio de Hotchner “Hemingway in Love”(2015).

Teve uma vida complicada, com muitos altos e baixos. Aqui se trata de pormenores e situações íntimas do escritor nos anos de Paris, pobre, faminto, com mulher e filho. Depois apareceu Pauline com todo o seu dinheiro. Ernest perdeu-se entre as suas saias e os seus gemidos. A casa matrimonial desmoronou-se. O escritor, no entanto, não ficou por aí: Depois de Hadley e Pauline, voltaria a casar-se mais duas vezes.

Visitei a sua Villa em S. Francisco de Paula, Havana, em 2014. Lá estavam os seus troféus, os livros, fotografias e móveis. O barco “Pilar”. A piscina onde Ava Gardner nadou nua para deleite de EH, deliciando a água e o verão cubano. A torre com a secretária e a máquina de escrever.

Ernest Hemingway teve tudo (ou quase tudo). No entanto, vagueou sempre tão perto do abismo.

 

 

Ver aqui imagens da sua casa, Finca La Vigia: https://www.youtube.com/watch?v=d_zcqRvXQr0

Aqui com Mariel, a neta: https://www.youtube.com/watch?v=5eZeNbnhUqk